Yes Wedding

O site YW está em manutenção por conta da nova versão e em breve o login estará normalizado. Obrigada pela compreensão

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Pinterest
O Yes Wedding tem o maior prazer em receber suas sugestões, opiniões e comentários. Quanto as dúvidas individuais, conforme formos recebendo, tentaremos transformá-las em pautas de matérias futuras. Obrigada e volte sempre!

Contato

contato@yeswedding.com.br
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Pinterest

Matérias

Entrevista Renata Xavier

09/02/2010

  • Renata Xavier

Renata Xavier trabalha profissionalmente com fotografia há nove anos. Se antes seu foco eram as imagens editorias, hoje, como ela mesma define, também registra sonhos. E a experiência da faculdade de cinema e diversos jornais e revistas pelos quais passou lhe deram uma visão ainda mais arrojada e técnica, que ela aplica nos eventos. Tudo isso unido a muita sensibilidade e discrição para captar os instantes mais emocionantes e intensos de qualquer ocasião. Aqui, ela revela um pouco de sua história e dos segredos da arte de fotografar, que já lhe renderam até o prêmio Top Knot de melhor Wedding Photography.

 

1- Qual a informação mais importante que você deve saber sobre os noivos antes de fotografá-los?

A sua história, como se conheceram, o que gostam, o que os deixa felizes... Quando os noivos se abrem para nós tudo fica mais fácil. Podemos descobrir elementos e atitudes que são importantes para eles e, por consequência, fazer imagens que os toquem. Outra coisa importante é saber sobre a família, quem é quem, se todos se dão bem ou se temos que ter cuidado com alguma indisposição familiar. Às vezes os noivos e as famílias tem algumas fotos clássicas que gostariam de reproduzir. Já tive um caso de uma família de quatro irmãos na qual eles sempre faziam fotos organizados por ordem de tamanho, como uma escadinha. Então fizemos uma foto brincando com essa idéia clássica que ficou bem bacana. Às vezes usamos essa referência como um gancho para uma imagem nova que mantenha a tradição mas que também vá além.

2- Qual sua técnica para capturar a emoção?

Estar próxima, participar, entrar no espírito da festa, mas sem ser intrusiva. Ficar calada e alerta e observar muito. Parece paradoxal, mas não é, tem que saber a hora de tudo. Tem que deixar acontecer, porém ao mesmo tempo, quando a noiva está insegura e não sabe o que fazer, tranquilizá-la e propor sugestões. Ganhar a confiança dos noivos e da família é o fundamental. Quando confiam em você, deixam de se preocupar, viramos amigos, confidentes, passamos despercebidos, e é aí que as coisas acontecem. A alegria, o choro, a tensão, a brincadeira, tudo acontece naturalmente, só temos que estar prontos e ir atrás dessas emoções.

3- Que imagem não pode faltar no álbum de casamento?

Apesar de preferir imagens mais emotivas e artísticas, sou uma pessoa meio clássica. Acho fundamental a mescla do novo com a tradição, por isso é importante ter fotos da noiva arrumada e linda, tanto de close quanto de corpo inteiro, a entrada dela na cerimônia, os noivos felizes no altar, aquele olhar apaixonado, um beijo que dá gosto de ver, as fotos de família com os pais, irmãos, padrinhos e avós. O momento que mais gosto de fotografar é a primeira dança do casal. É cinematográfico e muito romântico, são apenas os dois com muito carinho, abraços e chamego.

4- Existem luz e cenário perfeitos?

Casamentos de dia fazem qualquer fotógrafo feliz. A luz do sol é a mais bonita que existe. Uma cerimônia no fim de tarde com a festa de noite é o ideal. Temos a beleza da luz do dia para a cerimônia e retratos de família e o glamour da noite para a festa com todas as luzes de pista atuando. O cenário ideal é aquele que tenha uma relação com o casal. Pode ser uma igreja, um jardim, uma fazenda, uma praia, uma casa de festa, um museu, a cada dia descobrimos lugares novos, adoramos esses eternos desafios e descobertas. O importante é o casal estar muito feliz e curtir cada instante.

5- Quais os momentos mais emocionantes que já registrou?

É tão difícil falar dos momentos mais emocionantes... Cada casamento tem os seus... Já vi pai de noivo celebrando o casamento super emocionado, homenagens a pais falecidos, avós dançando animadíssimos com os noivos, filhos do casal levando as alianças, visitas inesperadas de irmãos ou parentes que estavam no exterior e não viriam... Mas acho que o que mais nos tocou foi fotografar bodas de ouro. É tão bonito ver uma família unida após 50 anos, ver as imagens do casamento daquele casal... Teve uma senhora que me falava tanto das fotos do casamento dela, que elas eram incríveis, que o fotógrafo era excelente, e quando vimos as imagens só pude dar razão a ela. As fotos eram belíssimas e ela parecia uma diva dos anos 40. São as fotos mais bonitas que essa senhora tem dela mesma, aí temos a real dimensão da importância do nosso trabalho: contar a história dessas famílias através de imagens que os toquem hoje e sempre.

6- Já recebeu algum pedido de foto inusitada? Qual?

Vários! Desde fotos da noiva nua só com o véu, a ela de lingerie, mas isso até tem sido uma coisa comum. O mais legal foi fotografar o sobrinho recém-nascido no hospital quando o noivo já arrumado para o casamento foi visitá-lo pela primeira vez. Quem fez essas imagens foi o Leandro Lucas, meu marido que fotografa comigo.

7- Como faz para que o material que fotografa seja sempre único para cada casal?

Apesar dos rituais serem parecidos, as pessoas e circunstâncias são diferentes. Cada casal é único e por isso as suas imagens também serão. Além das conversas com os noivos antes e durante o casório, que já nos dão uma idéia da preferência de cada um, vamos sentido... interpretando... descobrindo... É uma relação dialética e em constante transformação. Todos os casamentos têm as suas particularidades e cabe a nós descobri-las.

8- Quais as novidades na área de fotografia de casamentos?

Boas fotos são atemporais e falam por si só, contam histórias de vida e seu valor só aumenta com o tempo. Acho que a grande novidade é que as noivas perceberam isso e estão cada vez mais atentas quanto às suas memórias. Hoje elas valorizam mais a fotografia do que no passado. Estão mais espertas e não se impressionam mais com tipos de encadernação, "novidades" técnicas e promoções "imperdíveis" oferecendo mundos e fundos, elas se preocupam mais com o conteúdo. Tudo o que elas querem são boas fotos, imagens que as toquem, que sejam memoráveis e inesquecíveis. Por isso buscam cada vez mais por bons fotógrafos, pessoas que com um espírito artístico e um trabalho exclusivo e diferenciado, traduzindo em imagens a beleza e a emoção vivenciadas. Um verdadeiro haute couture fotográfico.

9- A parceria do fotógrafo com os outros profissionais é importante ou não influencia? Por quê?

É fundamental. Todos os profissionais contratados pelos noivos possuem um só objetivo: a perfeição. Tudo tem que dar certo para que o casal tenha a noite mais feliz da vida deles! Por isso todos devem trabalhar em conjunto. O trabalho de um deve complementar o do outro. Numa simbiose contínua. O maquiador deve deixar a noiva linda e pronta na hora, o vestido, bouquet, arranjos de cabelo, sapatos, devem estar impecáveis, o vídeo tem que ser um parceiro, o cerimonial deve ser competente e organizar os personagens da história nos lugares e momentos certos, o DJ tem que fazer todos vibrarem, esses e muitos outros profissionais influenciam diretamente o nosso trabalho e o andamento de todo o evento.

10- O que a fez escolher essa profissão?

Nunca pensei em ser fotógrafa, na verdade queria contar histórias por isso queria ser diretora de Cinema. Fiz as faculdades de Cinema e Publicidade na UFF e foi lá que me apaixonei pela fotografia. Para fazer um filme precisava de uma grande estrutura, muitos profissionais, equipamentos, incentivos governamentais... é tudo muito difícil. Na fotografia posso contar histórias de uma maneira simples e que atinge diretamente o coração. A fotografia é a síntese da realidade. Num primeiro momento fiquei fascinada pelo fotojornalismo, por conta do trabalho de fotógrafos como Cartier Bresson, Robert Capa, Doisneau, entre outros. Fui trabalhar no Jornal O Globo, e lá tive contato com alguns dos melhores fotógrafos do Brasil, aprendi muito e descobri que o que gosto mesmo é de fotografar pessoas. Uma coisa foi levando a outra e os retratos me cativaram. Sou muito tímida e esse contato direto com as pessoas e a interação para interpretá-las é um grande desafio, pois descobrir e dirigir o outro é nos levar para dentro de nós mesmos. Participei do Curso Abril de Jornalismo e comecei a fazer retratos e ensaios para revistas de todo o Brasil, fotografei para a Contigo, Exame, Bons Fluidos, Super-interessante, Saúde, etc. Desconhecia esse universo do casamento até que resolvi me casar. Sempre tive aquela idéia de que a fotografia de casamento era meio engessada, careta, até que vi alguns casamentos fotografados pela Marizilda Cruppe, uma amiga minha do jornal. Vi que os casamentos eram repletos de emoção e um prato cheio para fotografar pessoas. Três amigas minhas casaram num mesmo mês, fotografei as três e daí, através das indicações, foi uma bola de neve. Foi tudo muito rápido. O Leandro Lucas, meu marido, veio fotografar comigo e hoje quase não consigo mais fazer os editoriais por conta da demanda das noivas.

11- Apenas pelo YES WEDDING ser simpatizante do tema. Faz algo pelo social? Gostaria de fazer?

No momento estamos numa fase de muitas mudanças positivas. Em breve estaremos aumentando e melhorando a nossa infra-estrutura. Está em nossos planos nessa nova fase se dedicar mais a projetos sociais.

Você também
pode gostar de...

Antena Yes

Ana Carolina Brum e...

Ana Carolina Brum nunca imaginou que...

Antena Yes

Dica da Noiva: Se...

Foi em um encantador destination wedding...

Antena Yes

Trinitá presenteará noivas com...

Subir ao altar com o vestido...